Cinco dicas para ter uma boa noite de sono


Todos querem ter uma boa noite de sono e acordar relaxado no dia seguinte, mas para os brasileiros dormir bem é um privilégio. Segundo dados do Instituto do Sono, 63% da população adulta do País têm alguma queixa relacionada ao sono. Em São Paulo, 25% da população apresenta dificuldades para dormir, 27% acorda precocemente e 36% têm dificuldade de manter o sono.
As causas mais importantes de dificuldade para conciliar o sono estão relacionadas com o estresse provocado pelo dia a dia agitado e com a produção inadequada de serotonina, neurotransmissor que regula o ritmo do sono.
Apesar de existirem medicamentos que ajudam a dormir, a automedicação deve ser evitada. O ideal é adotar algumas medidas para ter um sono mais saudável, o que é possível com simples mudanças no estilo de vida. O pneumologista dr. Carlos Carvalho, do HCor (Hospital do Coração) de São Paulo, dá cinco dicas para se ter uma boa noite de sono:
1) Pelo menos quatro horas antes de ir dormir, evite ingerir álcool e bebidas e alimentos com cafeína, como café, chás e chocolates. A cafeína tem efeito estimulante e acaba atrapalhando o sono. Já as bebidas alcoólicas irritam o estômago, o que pode causar desconforto gástrico durante a noite, sem contar que aumentam a diurese, provocando despertares durante a noite para urinar.
2) Procure ir para a cama sempre no mesmo horário. O metabolismo demora alguns dias para se acostumar com oscilações no horário do sono, por isso tente manter uma rotina todos os dias, inclusive nos fins de semana.
3) Durante a noite, geralmente na fase mais profunda do sono, a temperatura do corpo diminui, por isso o clima dentro do ambiente deve estar agradável. Temperaturas acima de 26 e abaixo de 18 graus Celsius não são confortáveis para o corpo, e o frio ou calor excessivos acabam fazendo com que se acorde no meio da madrugada.
4) Procure se alimentar três horas antes de deitar para que a digestão seja feita completamente antes de dormir. Coma alimentos mais leves e fáceis de ser digeridos, pois durante o sono o metabolismo desacelera. Alimentos de difícil absorção fazem o fluxo sanguíneo no estômago aumentar, enquanto o resto do corpo está mais relaxado, podendo causar refluxo.
5) Se não conseguir pegar no sono em 30 minutos, não fique deitado na cama, pois isso acaba estressando ainda mais. Levante-se e procure realizar uma atividade relaxante, como ouvir música suave ou ler, para ajudar a dormir.
 
Fonte: http://drauziovarella.com.br/noticias/cinco-dicas-para-ter-uma-boa-noite-de-sono/

Como comprar sapatos

Veja algumas dicas para comprar o calçado correto e evitar problemas nos pés
O calçado ideal deve ser em primeiro lugar, confortável aos pés
Usar sapatos apertados pode contribuir para uma longa lista de problemas nos pés.
A Academia Americana de Cirurgia Ortopédica sugere como escolher calçados apropriados para deixar os pés confortáveis:
- Sempre meça os dois pés dos sapatos antes de comprá-los
- Experimente sapatos ao final do dia, quando os pés costumam estar um pouco mais inchados
- Assegure-se de que os sapatos calcem bem nos calcanhares e nos dedos, deixando um espaço de folga de um centímetro entre o sapato e o dedo mais longo
- Experimente os dois pés para ter certeza que estão confortáveis. Escolha o par que estiver mais confortável no dedo mais longo

Saúde dos pés: Saiba escolher

Em nome da beleza, as mulheres escolhem calçados inadequados e conquistam calos, joanetes, problemas na coluna, deformidade do antepé (ponta dos pés), entre vários outros problemas. Por isso, é extremamente importante escolher muito bem um calçado na hora da compra. "A saúde dos pés é primordial para o restante do corpo, ninguém consegue ficar de bom humor com dor no pé. A cada passo nos é lembrado daquele problema, daquela dor, daquele calo", afirma a doutora Cibele Ressio, mestre em Ortopedia e Traumatologia e especialista em medicina e cirurgia do pé. Segundo Cibele Ressio, 90% das deformidades do antepé são causadas por uso de calçados inadequados: apertados, menores do que os pés, ou de salto muito alto. "Quando usamos calçados corretos evitamos estas deformidades, que vão desde dedos em garra a joanetes", garante Ressio.
Como escolher o sapato ideal?
Por isso, a especialista ressalta a importância de ter muito cuidado ao escolher os sapatos. "Eles devem estar absolutamente confortáveis na hora da compra, não devemos supor que o calçado vá lacear. Devemos medir, mensurar os pés frequentemente, pois após os 20 anos 90% das pessoas aumentam até dois pontos o número do calçado. Devemos solicitar o número correto, deixar uma polpa digital de folga entre o último dedo e a ponta do calçado, pois os dedos necessitam desse espaço para a movimentação durante a marcha ou o caminhar", afirma a especialista Salto alto, o grande vilão da saúde. O uso constante de sapatos de salto alto causa, comprovadamente, problemas de coluna. "Sapatos de salto alto, com uso crônico, encurtam a musculatura ísquio tibial, isto é, a musculatura posterior da perna que vai até a coluna lombar, causando dor na região lombar", diz Cibele.
Como deve ficar o pé?
Segundo a especialista, não é a altura do salto isoladamente que importa. O ideal é que o pé fique paralelo ao solo, ou levemente inclinado, no máximo, com a diferença entre o salto e a plataforma do antepé de 3,0 cm. Fonte: Cibele Réssio fez residência Médica em Ortopedia e Traumatologia na Unifesp - Escola Paulista de Medicina, obteve o título de Especialista em Ortopedia e Traumatologia pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT).